Vocabulário de Mestre

Certas pessoas têm o privilégio de serem criadas num ambiente cultural e intelectual bem acima da média, e o efeito disso é que estas pessoas são na maioria das vezes elegantes, educadas e refinadas, sem que precisem se esforçar para isso. O problema é que quase sempre a linguagem utilizada por elas é tão mais rica, que nós, seres em evolução, ficamos patinando para entender cada palavra do seu vasto vocabulário. Este é o caso do DeRose. Conforme suas próprias palavras:

“…a educação recebida da família em que nascera contribuiu para criar uma falta de diálogo entre mim e o mundo real.
Desde a infância, como era de se esperar, surgiram alguns problemas de ajustamento cultural. No colégio havia uma flagrante diferença de vocabulário entre o que aprendera no seio da família e a linguagem mais popular que escutava dos colegas e professores.
Esse fato acentuava a desagradável sensação de ser diferente. Somente depois dos trinta anos de idade, conheci um provérbio que diz: diferente não é gente. Lembrei-me da Revolução Francesa e de outras revoluções, e decidi ser gente, igual a todo o mundo. Simplifiquei o vocabulário, permiti-me alguns erros consagrados pelo uso coloquial e pronto: comecei a ser aceito por todos. O mimetismo funcionara razoavelmente. Apesar de persistir eventualmente o estigma de avis rara, daí para a frente as coisas melhoraram bastante.”

Mesmo com as simplificações de vocabulário, não é tarefa simples compreender suas palavras. Para aqueles estudiosos que, como eu, não têm um vocabulário tão vasto, estou criando este pequeno glossário que facilita um pouco as coisas.

livroGlossário

abnegação

“…com abnegação e sacrifício se preciso for, sem esperar agradecimentos, lucros ou vantagens de qualquer espécie, porém, dando de mim todo o meu empenho.” (Juramento do Yôgin)

Dic.: 1. Desinteresse, renúncia, desprendimento, devotamento. 2. Sacrifício voluntário do que há de egoístico nos desejos e tendências naturais do homem, em proveito de uma pessoa, causa ou idéia.

agruras

“…para suportar as agruras e vicissitudes do dia-a-dia.” (Menssagem de Amor)

Dic.: 1. Aspereza, escabrosidade. 2. Amargura, desgosto, dissabor.

alfarrábio

“…indicadas   pelos   antigos   alfarrábios,..” (O Incenso)

Dic.: 1. Livro antigo ou velho.

antolhos

“É preciso ler e viajar bastante para esgarçar os antolhos que espremem a nossa inteligência.” (Blog do DeRose)

Dic.: 1. Pala com que se resguardam contra a luz os doentes. 2. Peças de couro ou de outra matéria opaca que se colocam ao lado dos olhos das cavalgaduras, limitando-lhes o âmbito de visão, para que não se espantem.

# ter antolhos – ser limitado intelectualmente.

assaz

“…uma  tarefa  assaz  árdua.” (Uma Viagem aos Himalayas)

Dic.: 1. Bastante, suficientemente.

asseio

“…para  cuidar  do  asseio  de  teu  Templo Interior.” (Menssagem da Meditação)

Dic.: 1. Limpeza, higiene. 2. Perfeição, apuro, correção. 3. Esmero no vestir.

austeridade

“A austeridade de manter a fidelidade e lealdade ao seu Mestre…” (Código de Ética do Yôgin)

Dic.: 1. Qualidade ou caráter de auster. 2. Inteireza de caráter; severidade, rigor.

celibato

“O yama brahmáchárya não obriga o celibato nem a abstinência do sexo para os yôgins que seguirem a linha tântrica.” (Código de Ética do Yôgin)

Aqui uma curiosidade, celibato literalmente significa uma pessoa solteira, que pode ou não ter relações sexuais, e portando não precisa manter-se casta. Tanto é que em francês a palavra célibataire significa apenas solteiro.

deletério

“…sem  a  interferência deletéria dos egos,..” (Você Está Insatisfeito?)

Dic.: 1. Que destrói. 2. Nocivo à saude. 3. Corruptor.

diletante

“…e  então,  os  diletantes  yôgins,..” (O Despertar da Consciência Cósmica)

Dic.: 1. Amador ou apreciador apaixonado, especialmente por música.

diligente

???

Dic.: 1. Ativo, zeloso, aplicado. 2. Ligeiro, rápido.

Muitas vezes traduzimos o termo abhyása, do sânscrito, como prática diligente. Literalmente, abhyása designa a repetição de um exercício ou hábito.

espezinhar

“…espezinhe no chão a minha vida.” (Imprecação com os Salmos de David)

Dic.: 1. Calcar os pés; pisar. 2. Oprimir, tiranizar, vexar. 3. Tratar com desprezo ou desdém; humilhar, rebaixar.

estultícia

“…e nada  terás  a  divulgar,  somente  tua  vã  estultícia.” (Advertência aos Neófitos)

Dic.: 1. Qualidade ou procedimento de estulto, estultice.

Aliás, um estulto é: 1. Tolo, néscio, imbecil, insensato, inepto, estúpido.

ferino

“Se tua língua é ferina,..” (Vade Retro…)

Dic.: 1. Semelhante a fera. 2. Cruel.

fugaz

“Como pode ser tão prazeroso este fugaz hiato…” (Yôganidrá)

Dic.: 1. Que foge com rapidez, rápido, veloz, fugitivo.

ignóbil

“…só poderia ministrá-lo a preços ignóbeis quem tivesse uma outra forma de sustento…” (Código de Ética do Yôgin)

Dic.: 1. Sem nobreza; objeto, vil.

imprecação

“Imprecação com os Salmos de David” (texto com o mesmo título)

Dic.: 1. Ato de imprecar. 2. Rogo, súplica. 3. Praga, maldição.

E o que vem a ser imprecar? 1. Pedir (a um poder superior) que envie sobre alguém (males ou bens) 2. Pedir ou rogar com instância. 3. Rogar pragas a alguém. 4. Dizer pragas.

indelével

“…trazem  no  semblante  os  vincos  indeléveis  da  infelicidade  incurável,..” (Vamos, Criatura!)

Dic.: 1. Que não se pode delir. 2. Que não pode ser apagado, durável; indestrutível. 3. Que não será apagado da memória, inesquecível.

inefável

“…que teus olhos sorriam de inefável regozijo.” (Menssagem de Amor)

Dic.: 1. Que não se pode dizer por palavras, indizível. 2. Encantador, inebriante.

inescusável

“Inescusável é dirigir tal conduta contra um professor de Yôga.” (Código de Ética do Yôgin)

Dic.: 1. Obrigatório, que não se pode arrumar desculpas (escusas) para não fazer. 2. Indesculpável.

inexorável

“…uma lei que virá inexorável cobrar a quem deve…” (Advertência aos Neófitos)

Dic.: 1. Que não se move a rogos; não exorável, implacável, inabalável. 2. Austero, reto, rígido.

lassidão

“Quanto bem estar pode estar contido em alguns minutos de lassidão!” (Yôganidrá)

Dic.: 1. Qualidade ou estado da lasso. 2. Prostração de forças, prostração, cansaço, fadiga. 3. Tédio, fastio, enfastiamento.

lato sensu

“Deve ser entendido lato sensu.” (Código de Ética do Yôgin)

Quando queremos dizer que aquilo deve ter um sentido amplo.

mácula

“…ele é puro e sem mácula.” (Menssagem de Amor)

Dic.: 1. Nódoa, mancha. 2. Desdouro, deslustre, labéu. 3. Estigma, ferrete.

membrana pituitária

“…permitindo  imediata  absorção pela membrana pituitária.” (O Incenso)

Dic.: 1. Membrana que envolve as fossas nasais e desempenha funções olfativas.

orbe

“E este, o meu orbe.” (As Árvores e as Pedras)

Dic.: 1. Esfera, globo, redondeza. 2. Corpo celeste, planeta, esfera, astro. 3. Mundo. 4. Terra, país, nação, domínio.

opulência

“Contudo, a opulência é um roubo tácito.” (Código de Ética do Yôgin)

Dic.: 1. Abundância de riquezas. 2. Luxo, fausto. 3. Grandeza, esplendor.

pernicioso

“…pois são perniciosas e podem contagiar os outros…” (Um Tranco do Mestre)

Dic.: 1. Mau, nocivo, ruinoso.

preâmbulo

“O problema é o preêmbulo da solução.” (Sutras)

Dic.: 1. Fase preliminar. 2.  Relatório que antecede uma lei ou decreto 3. Parte preliminar em que se anuncia a promulgação de uma lei ou decreto.

preceptor

“…o testemunho dos Preceptores do Yôga Antigo.” (Juramento do Yôgin)

Dic.: 1. Aquele que ministra preceitos ou instruções; aio, mestre, mentor. 2. Professor encarregado da educação de crianças no lar.

primevo

“…o musgo primevo que lhes vestia,..” (As Árvores e as Pedras)

Dic.:1. Relativo aos tempos primitivos. 2. Antigo, primitivo.

sobrepujar

“…enquanro o Homo Malignus sobrepujou e sobreviveu.” (Fábula sobre a Síndrome de Caim)

Dic.: 1. Exceder em altura; sobrelevar. 2. Exceder em valor, importância, número, etc. 3. Vencer, ou levar vantagem. 4. Sobressair, destacar-se.

tácito

“Contudo, a opulência é um roubo tácito.” (Código de Ética do Yôgin)

Dic.: 1. Silencioso, cadado. 2. Implícito.

umbral

“Meu Minotauro foi o Senhor do Umbral.” (O Despertar da Consciência Cósmica)

Dic.: 1. Ombreira (de construções). 2. Limiar, entrada.

vade retro

(início do livro Menssagens)

É uma expressão latina que significa “vá para trás”, “recue”‘, “afaste-se”.

vanidade

“…longe de mim tal vanidade.” (Vade Retro…)

Dic.: 1. Caráter ou qualidade do que é vão; vaidade, estultícia.

vênia

“…com cuja vênia e com respeito invoquei,..” (Juramento do Yôgin)

Dic.: 1. Licença, permissão, consentimento. 2. Desculpa, absolvição, perdão. 3. Reverência com a cabeça em sinal de cortesia.

vicissitudes

“…para suportar as agruras e vicissitudes do dia-a-dia.” (Menssagem de Amor)

Dic.: 1. Mudança das coisas que se sucedem; alternativa, alternância. 2. Eventualidade, acaso, azar. 3. Revés. 4. Instabilidade das coisas; volubilidade.

votivo

“Coloca ao Oriente uma chama votiva…” (Menssagem da Meditação)

Dic.: 1. Relativo a voto. 2. Ofertado em cumprimento de voto ou promessa.

Você pode sugerir novos verbetes através dos comentários abaixo. As citações são todas do DeRose e entre parenteses está identificado o texto de onde ela foi retirado.

21 Respostas para “Vocabulário de Mestre

  1. Olá, Felipe, legal esse pequeno glossário que vc fez. Às vezes, a gente acha que sabe o significado de tal palavra ou expressão, mas na verdade o sentido é outro ou mais completo… enfim…
    Ah, gostei do seu blog, está muito bem escrito!

  2. Grande ação efetiva aos leitores e integrantes de Nossa Cultura, Felipão. Obrigado em nome de todos, e parabéns pela iniciativa!!

  3. Sou a favor da comunicação simples e fácil. Saber palavras rebuscadas não é sinal de inteligência. Só porque as sabemos não significa que devemos empregá-las. O importante é passar a mensagem e, se o uso de certas palavras atrapalha o entendimento do interlocutor/leitor, devemos evitá-las.

    Eu presto assistência jurídica a pessoas carentes. Poderia usar todos os jargões jurídicos e falar bonito, mas seria inútil. Devo falar de modo que a mensagem seja compreendida.

    Claro que em certas situações a linguagem culta é obrigatória, mas não no dia-a-dia.

  4. Olá Mary!
    que bom saber que você anda pelo meu blog às vezes =D
    Concordo com tudo o que você disse, mas talvez eu tenha me expressado mal.
    Como você falou, dentro do metier jurídico existem termos específicos e uma linguagem diferente da usual. Você com certeza estudou estes termos e sabe muito bem o significado deles, mas nem por isso fica falando dessa maneira com todo mundo.
    Da mesma forma, a necessidade deste post surgiu para se compreender melhor a linguagem utilizada pelo referido educador em determinados textos, principalmente aqueles escritos na década de 50 e 60, e não por uma vontade de conseguir falar mais difícil. Não espero que ninguém passe a usar estes termos no cotidiano, e provavelmente se alguém o fizesse seria logo considerado um desajustado.
    Obrigado pela observação, vou tentar melhorar o texto para esclarecer melhor isso.
    Um beijo!

  5. Marcos Freitas

    Estes termos podem parecer desajustados se forem utilizados em meios onde a cultura não permite o entendimento dos mesmos.
    Entretanto existem meios onde a cultura o permite. Esse é o caso dos praticantes do Método DeRose cujo nível de exigência e aprimoramento constante permitem um vocabulário mais refinado na forma de expressar.
    Tudo isso depende, lógicamente dos meios em que optamos viver.
    Minha opção foi feita.
    Forte abraço e sucesso a todos.

  6. Parabens pelo post!

  7. Grande Lengert,

    talvez em anos de estudos eu não tenha aprendido tanto da língua portuguesa quanto ao ler o seu glossário. Com certeza seu blog se torna agora uma referencia pra mim. Vou divulgá-lo entre os amigos e conhecidos, afinal, o que é excelente deve ser compartilhado!

    Parabéns pela iniciativa!

    E em falar em “vocabulário de Mestre” finalizo meu comentário com os dizeres de um Grande Sábio:

    “…portanto, todas as forças conspiram para lhe proporcionar a energia que contribui para que você tenha tudo isso.
    …tudo isso será potencializado por uma força superior que passa a proteger você. Pois tornou-se um herdeiro da mais preciosa tradição cultural da humanidade e uma das mais antigas da civilização.”

    Forte abraço!!

  8. Parabéns pela iniciativa Fe! Apoio e ofereço meu dicionário pessoal de entendimento das palavras rebuscadas para colaborar com o desenvolvimento deste seu! Um novo Wikipédia nascendo por aí, do Método DeRose, da Nossa Cultura! um Beijo.

  9. Muito bom post.

    Parabéns!

  10. Lapidar, é com o Lapidatio!

    Besos da maninha.

  11. Muito útil o post!
    Ontem, na aula do Módulo Filosófico da Complementação Pedagógica, o chêla Rogério Chimionato citou essse post e enviou o link para todo o grupo. Acresecentei ao meu programa para as próximas turmas.
    Abração,
    Ric Poli
    http://www.yogacentrocivico.org/blog
    Curitiba – PR

  12. Excelente este post, Felipe! Já o encaminhei para os alunos do módulo de aprofundamento filosófico da Unidade Centro Cívico.

    Abraços,

    Rogério Chimionato
    http://www.yogacentrocivico.org/blog
    Curitiba/PR

  13. Nossa, Fê! Que legal!

    Quero reforçar que o fato de o DeRose utilizar estes vocábulos só nos faz bem, pois nos impulsiona a estudar, pesquisar e a nos aprimorarmos na linguagem cada vez mais.

    Isto é sinal de cultura.

    Um grande beijo pra você!

  14. Pingback: Vocabulário de Mestre « SwáSthya Yôga em Curitiba | Método DeRose | Instrutora Evelyne Baldan

  15. Quando é que virão os próximos posts, Felipe?

    Abraços,

    Rogério Chimionato
    Instrutor da Unidade Centro Cívico – Curitiba – PR
    http://www.yogacentrocivico.org/blog

  16. Parabéns pela iniciativa.
    Vou indicar aos meus alunos e complementandos.
    Abraço.

  17. Ana Carolina

    Felipe,
    Parabéns pelo post. E, de forma alguma, vc se expressou mal, algumas pessoas que entendem mal. Ninguém precisa usar um léxico rebuscado no dia-a-dia, mas conhecimento é sempre bom. Ignorância de quem pensa o contrário. Não precisamos ir longe, volta e meia me deparo com palavras desconhecidas em qualquer jornalzinho de esquina. E ainda bem que a vontade de conhecê-las está sempre presente!

    Um abraço

  18. Muito bom Felipe.
    Parabéns pela ideia.
    Reproduzi seu post na íntegra no meu blog. Vale muitíssimo a pena compartilhar.

    Um beijo,

    Letícia

  19. Só a definição de umbral é uma definição pequena comparando com o significado da palavra.
    Quando me encontrar, conversamos sobre.
    Abraço
    E volte a escrever aqui!

  20. Pingback: Aumentar o seu vocabulário. Mas por quê? | Livros e afins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s